terça-feira, 30 de dezembro de 2014

CAINDO EM SI...

Como poderia ter falado antes? Quando ouvimos decisões tomadas não tem muito o que se falar. É o que eu tenho feito. 
Infelizmente caio em crises de fibromialgia por conta de algumas situações... Sou guerreira. Mas também sou fraca. Frágil mesmo. Porque amar é isso também. É procurar aceitar mesmo não entendo tais decisões.
O importante agora é seguir adiante. Viver realmente um dia de cada vez. Não são palavras minhas ditas por dizes... A Bíblia diz isso... E a experiência também confirma. 
Se mana está aqui com certeza tem o propósito de tudo que venho falando....Embora que muitas vezes não sou ouvida... E também entendo... Entendo realmente. 
Mas não é mais pela força do braço. Agora é pela força e poder do Espírito Santo de Deus. É o Espírito Santo que vai completar a Obra. Independente do que vier a acontecer. 
Um dia todos vamos partir. É fato. Não queremos perder quem amamos. No entanto sabemos que é assim. E a realidade vai mostrando duramente aquilo que não queremos aceitar. Contudo não quer dizer que Deus tem seus próprios desígnios. 
Ouvindo mana falar tudo novamente... Da forma como falou... Lembrei de minha conversa com meu filho... Das coisas que ele falou para mim... Uma pessoa que não está no convívio com certeza sempre enxerga melhor. Não que eu não soubesse. Sempre soube. No entanto sempre procurei entender as decisões tomadas.
Agora é nos unir cada vez mais ao ponto de não permitir que venham novamente toda aquela ansiedade de agir pelo braço. Não adianta. Meu Deus. Eu tiro por mim. Pela minha vida. Quantas coisas desejei (e também acreditei...) mas não vieram a acontecer. Porque vem mesmo de encontro com o princípio bíblico que nós planejamos sim, mas a resposta vem do Senhor. Podemos sim procurar melhorar (aperfeiçoar) mas o que tem que acontecer... Está escrito. O que é já foi. E o que há de acontecer também já foi. Como somos ainda "meninos" na fé. No princípio bíblico. 
Eu eu continuo aprendendo. Vendo que de fato não adianta se precipitar em nada. Decidir nada. Porque somos envolvidos menos por meio de uma atmosfera maior... Celestial... E rodeado de pessoas que amamos... Que amamos realmente.
Que por amor... Apenas abraçamos e falamos... Está tudo bem. Está tudo bem. 
Não sei como será amanhã. Se vou levantar como me levantei hoje... Quebrada. Com tantas dores que pensei que não fosse suportar... Não sei como será. 
Mas sei que pulsa um coração que ama. Que respeita. Que poderia realmente dar sua própria vida para alguém poder ser feliz. Viver mais tempo. Um casal que com certeza poderá fazer tantas coisas ainda na Obra do Senhor. No entanto... Não poderia. Não tenho poder para isso. 
A calmaria voltou por um tempo... Por mais um tempo... Não sei quanto tempo... Mas posso respirar aliviada por essa calmaria... Para que mana possa também respirar com mais tranquilidade. Deus está no controle. Em Nome de Jesus.

30.12.14       (22.34)

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

EU SEI QUE ELE SE ESFORÇA... TENTA MESMO...

Conversamos. Tomamos sorvete. Ele tentou. Tentou realmente. E foi engraçado porque percebi o esforço dele, pois volta e meia ele falava dos seus problemas.
Com tudo isso penso que ele poderia refletir sobre a vida dele e procurar mudar sua história. Não querer insistir em dizer que é parecido... Que a fruta não cai muito longe do pé... Que sente muito a falta do irmão (não duvido que faça falta... Longe de mim julgar seus sentimentos...) No entanto eu como mãe sei que tem muito mais do que sentir ainda mal pela morte do irmão.
Não podemos traze-lo de volta. O que resta para nós é a saudade mesmo. E procurar lembrar as coisas boas... Porque se vincular nas ruins... Vai doer muito muito mais. Com certeza.
Eu não sei... Já aconteceram tantas vezes de ele me procurar e dizer para mim confiar que dessa vez ele vai ficar do meu lado. No momento é impossível eu me concentrar que seja motivação, porque sempre acontece o contrário. Realmente. Ele se afasta. É mas comodo. E eu entendo. Pode não parecer mas eu realmente entendo.
O que tentei mostrar para ele é que ele ainda está tendo a chance de fazer a vida dele acontecer diferente. Eu não tive. E quando tive... Já estava tomada por essa maldita enfermidade.
A verdade que o que está acontecendo comigo é que finalmente estou admitindo (e infelizmente aceitando na marra... literalmente... na dor mesmo...) essa maldição. 
Doença é maldição. Não tem como pensar diferente. Provação? Também com certeza. Provação no sentindo de como recebemos e como reagimos... Enfim...
A irmã perguntou se podia vir me visitar. Que coisa mais bonita. Generosa. Mas eu já entrei dentro da casca... Não quero receber visitas. Não quero nada. Não quero ir... Não quero voltar... Não quero sair... Não quero nada. 
Disse para o Júnior que eu tenho vontade de entrar naquela mata e sair gritando até perder de vez a voz como desabafo... Como se isso fosse me ajudar... Quanta tolice. 
Não quero injeção. Não adianta injeção. Não quero remédio. Ah se houvesse realmente um remédio que aliviasse essa praga de dores contínuas e intensas.
E pensar que para mim a comemoração de Natal foi boa. Tranquila. Certamente para quem está acostumado a beber... Só poderia mesmo achar que foi uma festa desanimada. Segundo meu filho estavam todos tristes. É complicado mesmo. 
Uma coisa eu sei é que daqui para frente não vou ficar esperando ninguém. Se bem que ele eu nem estava esperando... Segundo ele não viria mesmo... Mas veio... Foram antipáticos... Se isolaram... (eu ainda me pergunto porque vieram...)Quantas situações mesquinhas eu poderia ter sido poupada. Meu Deus. Já falei que no Ano Novo não quero nada de nada. O Charles pode ficar comemorando na casa dele. Até apoie mesmo que se faz bem para ele que faça. Afinal de contas é a família dele mesmo. O Junior já se afastou a tanto tempo... Depois de tudo que houve algo foi rompido... Quebrado mesmo... Depois que viu o vídeo mandou aquela mensagem... Para combinar de ficar juntos no Ano Novo. Não. Nem pensar. Ainda bem que ele nem tocou no assunto. E quando tocar... Se tocar... Direi o que disse para o irmão dele. Chega de ficar esperando... Chega de passar por situações de rejeição... De desdém... Descaso... Do tanto faz... 
É bem engraçado mesmo o que aconteceu esse Natal... Uma nora que eu pensei que não vinha veio... Mas ficou totalmente indiferente. E a que esperava não veio... E ainda por cima... As crianças também não vieram... Ainda disse para o Charles com raiva que se ele pensava que ela vinha... Mas é muito tola mesmo. Sinceramente não fez falta nenhuma. 
Vem aquele papo todo de amor e perdão... E se isola... E a gente lê frases que parece até que é uma pessoa normal. Equilibrada. 
A Bíblia diz que é para nunca desistir. Não estou desistindo. Estou respeitando a individualidade de cada uma. Se é tão difícil conviver comigo então tudo bem. Que fique afastada mesmo. Será bom para todos os lados. O que tiver que ter da parte de "filho" terei... E se não tiver... Também é opção deles. Eu os amo. E os respeito.Prefiro realmente que eles fiquem bem com as mulheres deles do que ficar mal com elas e estar bem comigo. Não tem sentido. 
Quanto aos netos também estou entregando os pontos. Chega de esperar por eles. Infelizmente tive que fazer uma escolha. Não suporto a forma (toda a forma...) que eles vivem... Mas lá é a maioria... Inclusive com o próprio filho... Então... Quem sobra sou eu... Não dói mais. Talvez reflita mesmo as dores no meu corpo. É uma transferência para lá de dolorosa. 
Meu filho foi embora com o "senso do dever cumprido". Eu eu... Continuo aqui... Ouvindo as novidades... Os planos... Eu aceito. As vezes entendo... As vezes não entendo... Mas aceito sim. É a vida que segue.

29.12.14      (18.48)


INCONTROLÁVEL NECESSIDADE...

Olhar os vídeos como desabafos e médicos falando da fibromialgia tem sido ultimamente algo muito preciso para mim. Sinto necessidade de ouvir. Ouvir. Ouvir que tudo bem... É isso mesmo. É desse jeito. Você sente tudo isso mesmo. É normal. Pelo amor de Deus. Mas a confusão dentro de mim é tanto que preciso ouvir que tudo que eu sinto é do quadro da fibromialgia. Apenas sinto. Fato. E já não posso falar quero ouvir. Quero ouvir. Quero saturar-me em saber que é realidade. Não é somente psicossomático (imaginação... loucura... manha...exagerada...) Ah não... Longe de estar sendo exagerada. 
Ouço que sou guerreira. Por certo que um fibromiálgico é guerreiro mesmo. Um ser humano sentir tantas dores (intensas e contínuas...) tem que ser guerreiro mesmo. Se não acaba enlouquecendo mesmo. Depressão. Como não ficar deprimido com tanta dor? Não é a depressão que causa a fibromialgia... É a maldita fibromialgia que causa depressão.
Eu entendo minhas irmãs. São maravilhosas. Maravilhosas! Não sei o que seria de mim sem elas (muito mais agora que não tenho mais mamãe para chorar em seu ombro...Ouvir suas palavras de consolo... De alento... Mesmo porque ninguém melhor do que ela para saber e me entender... Ela sofria da mesma enfermidade...) Sei que elas querem o melhor. Mas eu preciso falar. Eu quero falar. Mas parece que ninguém fica a vontade para ouvir. E aí fica bem pior. Muito pior... Porque eu preciso desabafar. Eu preciso chorar. Chorar de dor. De agonia. De sofrimento mesmo. E isso não quer dizer que eu seja fraca. Que eu tenha menas fé. 
Embora que esteja mesmo com a fé esmorecida. Minha alma sofre demais. E sinto meu "espírito interior" também sendo abalado. "Porque... Porque estás abatida ó minha alma? Porque? Espera em Deus... Espera em Deus porque (alma) eu ainda O louvarei. E por certo que eu tenho esperado... Anos após anos... Dia após dia... Noite após noite... E se dia é muito ruim... A noite então vira um inferno... Um horror... Um desespero. 
Quem poderá me ajudar? Me entender? 
Em meio a crise me sinto solitária. Estou sozinha. Porque não posso falar.Eu até posso falar. E por certo que eu falo... Mas eu quero falar mais... E mais... Até me sentir esgotada nas palavras... Nos sentimentos... Me sinto acoada. Um fibromiálgico em crise é como um estranho em seu meio. 
Por isso preciso ouvir testemunhos... Desabafos... Cronicas... Médicos falando... É como se falassem... Muito bem. Tudo bem. Eu sei o que você está sentindo.
Não posso ajudar você. Porque é você que tem que se ajudar. Buscar dentro de você todas possibilidades possíveis e imagináveis... (ou seria inimaginável...) O amor de minhas irmãs tem sido alento para enfrentar tudo isso. Longe de mim dizer o contrário... Mas... Em meio a crise nenhuma delas consegue me ajudar. E nem poderiam. Ninguém pode.
Ontem meu filho mandou uma mensagem toda "emocional..."; usou mais uma vez a morte do irmão para se "desculpar" das suas loucuras. Quanta imaturidade e egoísmo da parte dele. Não enviei aquela mensagem para "intimidar emocionalmente". Deus é testemunha porque certamente sonda meu Coração. Mandei porque senti necessidade de mostrar para ambos o que estou sentindo. O que está acontecendo comigo. A minha realidade. É assim que encontro. Por favor... Não tirem mais conclusões precipitadas ao meu respeito... Não me julguem pelas minhas reações... Ou pelas minhas omissões... Por favor... Não me julguem em absolutamente em nada. 
Não me tomem por estranha. (embora que eu esteja ficando cada vez mais estranha... Mais anti social... Odeio barulho diversos... Ruídos cortantes... Sustos repentinos... Não suporto a alegria exagerada... Não suporto a tristeza já generalizada... Chego aos extremos da dor... Aos extremos dos sentimentos... Não tem meio termo... E  o sofrimento passa dos limites... Quando que me sinto extremamente limitada. Sem vida. Vazia por dentro. E um grito que ecoa abafado.. Pelo amor de Deus. Estou com muitas dores. Incontrolável necessidade de saber e entender o que eu sinto.
Minha Oração é que Deus em Sua infinita e Suprema misericórdia entre com providência e tenha compaixão de mim. Estou em crise. E não estou suportando sentir tanta dor. E as consequências dessas dores... Seus sintomas... Um verdadeiro inferno!!!

20.12.14   (15.09)

domingo, 28 de dezembro de 2014

Dedicado a uma amiga que sofre de Fibromialgia

Estou tão sensível que poderia chorar o tempo inteiro... Apenas ter nesse momento um ombro para chorar. Para dizer que está doendo muito. Está doendo. E não é a "falta de um ombro amigo" porque eu teria. Eu tenho. Eu tenho. Mas estaria sendo egoísta. Como desabafar? Como dizer que está doendo? Simplesmente está doendo. É fato. Sei de muitas coisas... Mas ao mesmo tempo não sei de nada... Hoje recebi esse vídeo no meu face e chorei... Estou chorando... Mas não posso chorar abertamente... Não posso. Não poderia. Enviei para os meus filhos como um pedido de perdão. Não. Não foi de socorro. Eles muito pouco podem fazer por mim. Talvez não possam fazer nada por mim. Não depende deles na verdade. Não depende de ninguém. Não é uma questão de se "esforçar...". Meu Deus. Por Deus que não é mesmo. Ainda assim me sinto guerreira. Ainda me coloco de pé. 

Eu gostaria de sair por aí andando sim.... Talvez correndo... Talvez passeando na areia da praia... Gostaria... Mas não tenho mais vontade. Não tenho vontade de nada. Estou estupidamente cansada. Ridiculamente cansada! Nesse vídeo vi a mim mesma. Palavra por palavra. Expressão por expressão. Não posso ser diferente. É independente a minha vontade. 

Vi também o vídeo do médico... Bem esmiuçado... Nada que eu não tenha já ouvido. Nada! Sei que tenho que urgentemente fazer uma atividade. Talvez amanhã eu faça. Nada me impede. Absolutamente nada. A não ser as dores intensas pelo corpo. Mas tem que ser feito. Sim. Sim eu sei que tem que ser feito. Como sei que tenho que fazer urgentemente (reiniciar) a Reeducação Alimentar. Mas simplesmente não tenho vontade. Eu sei. Mas não  interessa. 
Estou assim. Não estou querendo nada. Apenas querendo ser entendida. Não quero ouvir que tenho que me esforçar. Que tenho... Que tenho... Que tenho!!! Eu de tudo isso sei.
Eu sei. Eu sei. Eu sei!!! Eu só quero chorar. Não estou conseguindo chorar. Choro por dentro. Quero dormir. Eu preciso urgentemente dormir. Desesperadamente preciso dormir. O que me impede? Nada me impede. O mais doloroso é que muitas das vezes tenho sono... E me desespero... Vem os malditos espasmos... Vem as contrações musculares... Vem a agonia nas pernas... Me jogo na cama como um boneco sem vida... Como um "troço" que tem vida. Mas não vive.

Isso por certo não é vida. Não enviei o vídeo para que se sentissem mal... De consciência pesada... Por certo que não. Não adiantaria. Enviei para que possam entender como eu me sinto. Um grito de como eu me sinto. 
Amanhã quem sabe me sinto melhor. Ou pior... Ou exatamente como estou hoje... 
Minha tem dificuldades de lidar comigo. É difícil mesmo. Toda a noite ela me diz as mesmas coisas... E eu penso... Com certeza se dependesse de mim... Não. Não é falta de fé. É a dor que nunca se acaba. Que está impregnada como uma marca. Uma sujeira. Somente eu posso sentir o cheiro me auto destruindo... Me definhando... Agoniando a minha vida. Até quando? Eu não sei. Eu não sei de mais nada a ser a sentir essas dores insuportáveis. Esse sofrimento cotidiano. Essa falta de animo. Me sinto tão vazia que parece que a vida já se esvai dentro de mim. 
Estou tão cansada que não sei mais o que fazer do tamanho cansaço. Ah sim... É sim... Talvez eu tenha esquecido... É da fibromialgia. 
Que Deus em sua infinita misericórdia tenha compaixão de mim. Em Nome de Jesus. 

28.12.14      (22.11)


sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

O TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO.

Louvado Seja Deus. Até aqui nos ajudou o Senhor. É um dia de cada vez. E em todas as coisas somos mais do que vencedores por meio de Jesus. Porque nos amou com o mesmo amor do Pai dando sua vida para salvação de nossas almas. Derramando seu sangue precioso. Esse sangue que tem poder, que se faz justiça por cada um de nós. Hoje quando estávamos orando pelo irmão em Efésios 6. 10-16; "vestindo a couraça da justiça". Pensei o quanto muitas vezes perdemos o foco da salvação por meio do seu sangue. Parece que esquecemos a "tão grande salvação".
Na verdade que falo de mim mesma. Quando estou em fases de crises violentas parece que fica tudo tão pesado que vou perdendo a visão espiritual (visão celestial).
Agora estou aqui terminando o dia... Pensando sobre tudo isso... Pensando nesses anos todos que passaram... E como me encontro. Não me encontro. Meio que perdida na fé. Meio que perdida em uma confusão de rebates dentro da minha cabeça.
Quero parar. Quero ficar tranquila. Mais um dia. Louvado Seja Deus. Em Nome de Jesus. Amém e amém.
 
05.12.14  (22.00
Louvando e exaltando o Nome do Senhor Jesus tudo com certeza fica bem mais fácil seguir a vida mesmo com suas dificuldades. As adversidades do dia a dia que fazem parte. Tudo depende de como encaramos. E não é por nossa força também porque tem situações que fogem do nosso controle. E apenas nos rendendo ao louvor entregamos tudo ao Pai. Em Nome do nosso Senhor Jesus Cristo.
Mana já está em casa. Gloria Deus. Agora é repousar para que de fato seja 100%. Resta saber se ela vai ficar tranquila... Porque não saber ficar parada. Parece até que sente que tem que fazer... Não consegue relaxar. Bem... Cada um tem um jeito mesmo. Deve ser complicado mesmo parar para alguém que sempre está envolvida com o trabalho. Enfim...
Quando mana trouxe a mana para casa veio junto o cunhado dela que também fez uma cirurgia... Ele está muito bem. Gloria Deus.
E minha irmã perguntou na "lata" se ele ainda amava a ex - esposa (ele disse que são mais de 10 anos separados) e ele não pensou nem um segundo... Resposta imediata. Eu amo. Eu ainda amo e seria bom que ficássemos juntos. Com minhas palavras... Que tem uma história com ela... E tem seus filhos... Neto... É verdade.
Mas eu me surpreendo sempre. A mulher refaz sua vida de uma forma determinada. O homem fica aguardando uma nova oportunidade. E o que mais me impressiona é que a maioria deles foram traídos. É impressionante.
Quando ele disse isso eu disse... Verdade? Sério?
É sério mesmo. E geralmente essas mulheres não estão nem aí para tais sentimentos. Quando deveriam se sentirem honradas. Se bem que no caso dele (em todo o seu casamento... ) ele não é nenhuma vitima. Pelo contrário. Sem ele saber do princípio bíblico esse casamento deverá ser restituído mesmo, porque o que Deus uniu homem nenhum pode separar. Está na Palavra de Deus.
Que ele permaneça sempre determinado a viver sóbrio. Em Nome de Jesus.
Gloria Deus!!!
 
05.12.14    (14,52)

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Estou um pouco (bastante) surpresa comigo mesma porque estava tão tensa em relação a vir para casa de minha irmã. Me preocupando com a noite... Como seria difícil passar as longas horas de insônia... Dos sustos... Dos espasmos... Mas... Realmente foi uma noite que posso dizer que cheguei a dormir... Que passou tranquilamente... Com espasmos leves... Pequenos sustinhos que não chegaram a desesperar... Gloria Deus.
Lembro que minha irmã primogênita me disse que sou muito parecida com minha mãe quando do nada (quando é para fazer algo no sobrenatural) se colocava de fé e força e ia viajar; fazer missões. Não que eu faça missões. Quisera que fizesse mesmo. Mas é verdade que tenho essa reação mesmo quando é para ajudar minha família. Crio dentro de mim uma força no sobrenatural e vou vencendo no dia a dia. Depois... Quando tudo acaba... Quando a missão é cumprida... Ai desmonto... Até surgir algo no sobrenatural. Gloria Deus.
Uma coisa que me surpreendeu bastante (muito mesmo) foi o fato de não me preocupar absolutamente com nada em relação a essa cirurgia de minha irmã. Sabia que ia dar tudo certo. Realmente descansei. Sei que ela estava nervosa. Ansiosa porque nunca tinha passado por nada parecido quando adulta.
Ela é maravilhosa. Uma bênção visível nas mãos do Pai. Aleluia. Quanto retorno e reconhecimento ela tem recebido por ser fiel a Deus. É assim mesmo que Deus trabalha.
Me esperou com tanta alegria. Motivada na confiança de eu estar presente. Meu Deus. Cedeu o quarto dela para que eu pudesse ficar bem. Quanto mimo.
Verdade seja dita que nossa família ( as irmãs ) todas nós somos assim. Queremos tanto bem uma para outra que não medimos esforços para estar presente. Isso é maravilhoso.
Louvo a Deus pelas minhas irmãs. Gloria Deus.
Pensei muito em mamãe... Como ela tem feito falta em nossas vida\s. Como ainda precisávamos de sua alegria. De sua fé que era invencível. Inabalável. Incansável em profetizar o princípio da Palavra de Deus. Com autoridade. Com mansidão e amor.
Com o faz falta nossa linda Pepita.
Estava hoje contemplando minha tia ( 80 anos) andando pela casa e "orando". Que intercessora maravilhosa. Entendo mesmo o que a minha irmã fala que não podemos perde-la. Que temos que nos posicionar o quanto antes para que não fique um "vazio" na intercessão.
Que a mamy já se foi... E quando a tia partir... O vazio vai ficar ainda maior.
A vida segue. O tempo não espera ninguém.
Esse ano foi um ano "vazio". Sem frutos. Sem contemplação. E com bastante sofrimento por estarmos mais uma vez passando pelo "Vale de Baca".
E em meio a essa caminhada passamos por mais uma perda (filha de um primo que partiu tão jovem... ) inesperada. E isso nos afeta tanto.
Vendo meu primo lá sentado... Cansado. Esperando o momento de enterrar sua filha. Me disse que jamais poderia imaginar que enterraria um filho. Que era uma "inversão". Verdade. Um momento crucial. E o que mais me chocou foi vê-lo com tão poucas pessoas presentes. Uma família tão grande...  Ele e a esposa... Sua irmã... A irmã da jovem que partiu... As duas crianças... Eu e uma das minhas irmãs... Alguém que chegou depois... Dando uma palavra de solidariedade... Meu irmão que nem chegamos a vê-lo...  E fim. E cada um para sua vida. Até chegar outra morte... E os poucos que virão... A vida endurecendo cada vez mais os corações. Quanta estupidez.
Enfim... Mais um dia que vencemos em Nome de Jesus.
Louvado Seja Deus.
 
04. 12.14    (19.00)
 
 
 
 

sábado, 8 de novembro de 2014

NÃO. NÃO DOEU NADA...

Eu no fundo sei porque me sinto assim em relação as pessoas que não são minha família. Quando falo em minha família me refiro a minhas irmãs. Meu irmão. (Embora que meu irmão esteja tão afastado de nós... Houve um tempo que pareceu que estava mais presente... Mas foi quando mamãe partiu para a glória... Aquele tempo da perda... Da ausência... Do luto...)
Mas não faz mal. Ele sempre foi assim. E não é por isso que o amamos menos. Sentimos sempre sua falta porque é nosso único irmão. 
Mas cada um é cada um. E naturalmente também não quer dizer que ele nos ame menos. Penso que os homens são diferentes mesmo que nós mulheres. Frágeis. ( nem tão frágeis assim...). Se diz que os homens são a razão e nós as mulheres coração. Talvez seja isso. 
Tudo bem. 
Eu mesma tenho algumas coisas em mim que continuam travadas. Nada parece simples. Eu deveria estar feliz (radiante...) por meus filhos estarem mais próximos. Querem reunir-se (o que super normal...) para almoços... Domingos... Estar junto. Eu não sei o que acontece. Eu fico um tanto apavorada. Estou com  depressão camuflada do "está tudo bem". Mas estou quebrada por dentro. Passei tantos anos em tanta solidão que agora tudo bem como um grande tormento. Ser normal. Ser normal com meus filhos. Normal com minhas noras. Com meus netos. 
Minhas noras estão sempre afastadas. Nunca ficaram a vontade comigo. Talvez porque eu não tenha permitido isso. Quando permiti... Para elas  também foi difícil. Ou é difícil. 
A verdade é o dia a dia. É esse que vale. Não vejo que por estar atravessando tudo isso um almoço vai resolver. Sei que é um início. Um primeiro passo. Mas não são mais palavras. É o dia após dia. É o estar presente. Caminhar junto. 
É conversar olhando no olho. É ficar perto. 
Lembro que sempre dizia para meu marido que ele estava errado em relação a mãe dele. Ela vinha e ele simplesmente se afastava. Ia embora. Nunca ficou para conversar. Para abraçar. 
Soube que no tempo que ficamos separados houve uma aproximação entre eles. Coitada! Ele vivia alcoolizado ( e drogado...). Ela ficou no meu lugar sofrendo as agruras daquele inferno. Meu Deus! O que foi tudo aquilo? Um terrível pesadelo que nunca findava. 
Acho que estar com pessoas (como foi hoje com uma prima...) que fizeram parte do seu passado... Que sabe ou que soube... Enfim... É como agora mostrar o "resto" ( o lixo...) que sobrou daquele inferno. Daquela escolha que acabou com nossas vidas. Com minha vida. Eu e meus filhos somos sobreviventes de um grande tormento que foi a chamada "família". 
É como se tentasse sempre "evitar" o que restou de mim. Uma pessoa deprimida. Velha. Gorda. (comendo compulsivamente as frustrações...). Usando prótese... ( não prestei mais depois de me sentir mutilada naquela cadeira do dentista...) Chorei tanto que pensei que não sobrariam mais lágrimas para o futuro. Quanta loucura. 
Aí me isolo. Não porque quero morrer. (querendo morrer para descansar desse tormento interior... Que nunca se acaba... Que martiriza por dentro... )É a vida. Me custa tanto viver. Meu grito é para a vida. Mas me sinto estranha em meio a tudo isso.
Não sou normal. Sendo totalmente normal. 
E de fato não dou nada. Não dói. Porque sou uma pessoa simples. Que gosta de falar e brincar (sorrir e chorar... abraçar... estar junto... Consolar... Beijar... Afagar as mãos em um carinho...)No entanto tudo me custa. Custa porque porque por dentro estou quebrada. Sempre quebrada. 
Talvez sejas as dores intensar pelo meu corpo. A dor que nunca para. Nunca cessa. A fé que esmorece. Fica enferma. Alquebrada. 
Minha tia completou 80 anos. Olhava para ela... Com o olhar vago... Distante... Silenciosa... As vezes sorria... Se falasse com ela... Também falava... Se não... Era ali simplesmente uma aniversariante quase ausente... Corpo presente... Mas sua alma? Sua vontade? Seus pensamentos?
Ouvindo a bagunça... As vozes... Os risos... O choro preso... As mesmas conversas de sempre... Receitas... Querendo emagrecer... E sempre vendo nós comermos compulsivamente. Que loucura. Tadinha. Talvez desejasse ardentemente deitar-se... Escapar daquele ambiente barulhento... Tudo ao mesmo tempo... Não. Talvez também para ela não dou nada. É a vida que segue. Mais um dia que findou... E amanhã? Amanhã a Deus pertence. Em Nome de Jesus. 

08.11.14   (23.40)

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Não quero que esteja do meu lado por causa da saúde. Da obrigação se fazer presente. Um filho não precisa ligar para perguntar se... se... se... Não é preciso dizer nada. Apenas um abraço compensa toda dor. Toda tristeza. 
Lembro de eu ter dito sim que era para desabafar. Mas foi em uma situação. Para privar maninha de me ver tão caída. Então disse para ele vir aqui. Usar de naturalidade com o que somos (com o que sou) para minha irmã não perceber o quanto estava doendo a saída dela aqui de casa.
Ontem veio aqui em casa. Buscar algumas coisas... As que foram lembradas depois... E vejo como minha irmã está realmente bem. Fez bem para ela sair daqui de casa. Não se preocupar mais com tanto serviço que nunca tinha fim. É uma casa muito grande mesmo. 
Talvez o milagre aconteça. Talvez. Meu cunhado disse que a verdade é que embora eu tenha consciência que devo vender minha casa (principalmente pela necessidade do filho primogênito) e saber que muito mais eu com a saúde tão fragilizada... No entanto... No meu coração (minha vontade...) eu quero ficar. É verdade. 
Sei que vai chegar o tempo que de fato não vou mais dar conta. Mas por enquanto... Como sempre... Vou levando...
De ontem para cá já comecei a fazer algumas coisinhas... e isso está me fazendo bem. São minhas coisas. Gosto de trabalhar em casa. Gosto do serviço do lar. Não vejo que seja ruim. No entanto é a enfermidade que me leva ao desespero.
Também considero que não sendo mais jovem o corpo também vai dando sinais do cansaço dos longos anos... 
Mas não tem outro jeito porque a vida segue. Segue velozmente. Parece que não... Tenho tanto tempo de sobra jogada em uma cama... No quarto... O tempo para mesmo quando paramos. 
Ia na Santa Ceia... Estava a caminho... Desisti. Simplesmente. Primeiro foi a roupa (estou muito gorda), depois foi a TV que meu sobrinho trouxe (fiquei irritada porque não era preciso ver meu sobrinho passar tanto trabalho... e acabou nem "ligando". Pedi que levasse de volta... Afinal era do irmão... Não tinha sentido... Um querido! Ele disse que estava indo para outro lugar... Que depois então viria buscar...) Agora estou vendo a TV (não entrou em sintonia com o pacote claro... mas ele não soube instalar...)Enfim... enfim... enfim... Aí lutando comigo mesma decidi no impulso já decidido ir na Igreja. Nem bem sai umas meninas que vivem me chamando para pegar a bola... Viram o rosto para mim. Até mesmo a mais meiguinha... (rsrsrs... mania de perseguição... Não. Claro que não. É que não entendo. Tem uma garota mesmo que me chama e não olha para mim. É impressionante. Para mim é falta de educação. 
Certamente estão aborrecidas comigo. Porque nas duas últimas vezes que chamaram para pedir a bola eu falei isso... Além de estarem me chamando para pegar a bola... Aí então sabem o meu nome... Depois então viram o rosto. Nossa. Meninas de talvez 11 a 14 anos... Eu com 56 anos... Tolerância zero da minha parte. Também não faço muito para ser mais simpática. Enfim... 
Tudo isso me irritou... Quando ia  atravessar a sinaleira... Minha outra irmã ligou... E foi "tudo". Tudo para eu desistir. Votei para casa. Aborrecida comigo. Poderia ter ido na Igreja. Eu precisa tanto ir. Mas apesar disso optei em não ir. Naturalmente que não estou nada bem. 
Mas bem ou não... A vida segue. Não tem como ser diferente. Em Nome de Jesus.

05.11.14  (13.17)

sábado, 1 de novembro de 2014

UMA BUSCA INCONTROLÁVEL...

Quando fico assim vou buscar as letras das músicas que me levam as minhas lembranças a suavizar a saudade que sinto do meu filho.
Deixou tanta saudade. Deixou um adeus dizendo eu te amo. Ouço sua voz... Ouço o barulho do portão... Ouço minha voz pedindo para ele voltar. Para não demorar... Eu te amo meu filho. 
Não voltou mais. Eu fui ao seu encontro. Sem mais ouvir sua voz. Eu continuei falando meu amor por você. Seu sono eterno. Minha criança. 
Não deveria ter sido assim. Ainda posso ouvir sua voz dizendo eu te amo. Ou me deixa viver mãe. Me deixa viver. Não pude impedir sua morte. 
Uma criança no corpo de um homem. Um homem sendo homem amando sua garota. Sua alegria. Sua disposição. E seus medos escondidos no seu bom humor. 
Fui tão tola. Tantas vezes egoísta. Esperei de você o que você não poderia retornar. Pressionei. Lutei. Briguei. Me arrependi. Me culpei. Morri. 
Não foi só você que morreu meu filho. 
Saudades. Tantas saudades. Dói. Machuca. Busco letras de músicas que você cantava para mim... Umas eu encontro... Outras me desespero querendo ouvir o som do seu coração... Não é a letra... Não é nada disso... É apenas o incontrolável desejo de abraçar você. 
De dizer mais uma vez eu te amo. Ouvir mais uma vez eu te amo mãe. Me espera que eu volto logo. Talvez eu pudesse dizer que se eu pudesse teria ido com você. 
Essa busca incontrolável de sentir que poderia mais uma vez abraçar você. De dizer que sinto muito por tantas coisas. Embora tenhamos falado tantas vezes... Que tempo lindo que Deus permitiu para você antes da sua partida. Me despedia todos os dias de você meu amor. 
Meu Deus que dor insuportável. Uma busca incontrolável. Um dia vai acabar. Um dia com certeza tudo isso vai acabar. 

01.11.14  (23.59)
Estou com o choro preso ao coração. Talvez seja de tanto ter segurado para demonstrar serenidade com o que está acontecendo. E o que está acontecendo? Não é desse jeito mesmo? A vida segue. A vida não espera. 
Hoje meu cunhado disse tudo. Eu simplesmente espero "um milagre". Eu não tenho escolha. Não posso fazer diferente. Não dá mais para usar de subterfúgios... Na força do braço... Na força da emoção... 
Ouvindo tudo o que ele me disse... Como foi que vieram para cá... Não importa realmente como foi... Eu sempre faço a escolha de dizer que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. (Romanos 8. 28)
Se eu falasse o meu jeito do sim sim não não poderia afetar (abalar) naquilo que foi passado... Que interessa? Que importa agora?
Deus é testemunha que eles poderiam ter ficado comigo para sempre. Para sempre. Eu por um tempo acreditei que seria assim... Mas depois percebi que não... Que era um tempo... Um tempo determinado... Não sabia que seria tão rápido... Evitei o máximo para despedidas. 
Como será daqui para frente? Não sei. A vida segue. Dia após dia. Um dia de cada vez. Quem sabe hoje por um "milagre" eu durma? Quem sabe amanhã me levanto bem? Quem sabe foi no Culto da manhã? Quem sabe?
É quem sabe. Eu falo e me coloco sempre nessa posição... Mas no fundo eu quero largar tudo isso. Largar tudo. Recomeçar um vida diferente. Sair. Viajar. Ter uma nova chance.
Ainda sofro consequências de uma escolha errada. As feridas secaram. Ou talvez eu esteja sempre querendo me iludir que fiquei curada. Essas dores insuportáveis no corpo certamente são resultados de tanto sofrimento. Foi tanto sofrimento. Tanto desespero. Tanta loucura. Um inferno chamado vida. Uma vida chamada inferno.
Não é a morte. É a vida. Eu clamo por vida. Mas estou sempre aprisionada em meio a dor e sofrimento. Em confronto com o que sou. Com o que não sou. Com o que esperam de mim. 
É uma luta desenfreada dentro de mim. Porque não é a morte. O grito é pela vida. 

01.11.14   (23.16)

A VIDA SEGUE...

Eu não deveria ficar chateada com algumas coisas em relação as reações de um filho... Eu também tenho reações bastante inesperadas e duras muitas vezes. Eu tenho a idade que de fato chega o tempo de amadurecimento em todos os sentidos. Mas não posso esperar que seja assim para ele. 
Acho que de muito falar as palavras começam a ficar  sem vida. Atitudes muitas das vezes falam mais do que palavras. Não adianta falar e falar... Dizer que está junto... Que pode contar... Etc... E no momento que é preciso materializar tais manifestações... Não acontece.
Mas procuro dizer  que estou dando a chance de mostrar que eu estava errada e que com ele agora pode ser diferente. Porque repetir os mesmos erros? Porque ter sempre o prazer de dizer que é assim? Que foi sempre assim? E que tem que ser do jeito dele. Impossível ser do jeito dele. Impossível. 
Mas ele não alcança. Entende sim. Mas não alcança. Como pode passar na cabeça do meu filho que poderia agora vir morar comigo para que eu não fique sozinha. Que agora é diferente. Que passado é passado. E já que houve perdão vamos seguir em frente. 
Tudo que houve dessa vez conosco foi tão difícil. Tão sofrido. Tão inexplicável. Naturalmente que passou. Eu o amo. E sei que me ama. Somos família. Mãe e filho. Mas não tem como morar junto. Quando ele está comigo a inquietação e o estresse é tão visível. E nada pode contrair o que ele é. O que ele pensa. Se fala ele reagi dizendo que eu o coloco para baixo. 
Isso em menos de uma hora juntos... Com o filhinho... Seu linguajar... E meu neto imitando suas falas... Não. Tudo para eu ficar convencida que é impossível nem mesmo tentar. No fundo eu sei que não é exatamente eu (o ficar sozinha). Se realmente fosse seria diferente. Seria por amor. Por amizade. Por cuidados mesmo. 
Nem com esse nem tão pouco com o outro. Acho que é assim mesmo... Ao saírem de casa se tornam totalmente independentes. E poderia ser assim mesmo. É fato. São adultos. Pessoas singulares. No entanto falta o "bom relacionamento curado". 
Mais uma vez estou sozinha. E é opção mesmo. Eu não diria que é exatamente opção. Não escolhi ficar viúva. Não escolhi ficar doente. Não escolhi enterrar um filho. Não houve o direito de optar. Faz parte de uma vida. No entanto posso saber exatamente o que eu não quero mais para minha vida. Posso até não fazer mais planos. Mas eu quero apenas viver em paz. Respirar paz interior. Não viver tumultuada com ofensas. Atritos. Confusões do disse me disse ou que não deixou de dizer... Essas coisas de relacionamentos conturbados mesmo. Minha porção paguei com juros muito altos. Agora eu quero paz. 
Quero o bem dos meus filhos. Dos meus netos. Mas acima de tudo eu quero ter o resto do tempo que está determinado para mim com paz. Eu só quero paz. 
Ouvindo minha mana falando do que houve com ela meu coração disparou. A indignação tomou conta da minha alma. Ingratidão de um filho é um pecado mortal. Fere os princípios de Deus. Fere os melhores sentimentos de uma mãe. 
Mana eu meu cunhado estão saindo hoje... Estou em lágrimas por dentro... Me segundo para me mostrar forte. Sei que é o melhor para ambos. No entanto meu coração chora. Meu coração realmente chora porque sinto (e sei) que não é o momento. Mas a decisão já veio de muito tempo... E eu sabia que eles não ficariam para sempre comigo. Era para ser diferente. Foi falado tantas coisas... Mas as circunstâncias abalaram todo o processo. Abalou a fé. 
Louvo a Deus pela vida deles. Por um tempo de união (comunhão) que tivemos. E sei que apesar de me sentir assim Deus está no controle da vida deles e cuidará deles. Em Nome de Jesus.

01.11.14         (14.24)

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

NÃO SEI... NÃO SEI...

A gente sempre fala baseado no que viveu ou que está vivendo. No que realmente acredita. E não vejo que eu não tenha fé. Eu tenho fé. Eu aceitei Jesus como meu suficiente e único salvador, creio na sua morte; morte de cruz. Que seu sangue foi derramado para nossa plena salvação em meio aos nossos pecados. Em meio a separação que existia entre nós e Deus. Creio que somente por meio de Jesus e do seu sangue podemos ter acesso ao Pai. Ninguém vem ao Pai se não por meio do Seu Filho; a saber, Jesus. 
Falei o que está em meu coração. E na verdade nada nem ninguém sabe os mistérios de Deus. Embora que agora que eu estou escrevendo veio a passagem que Deus diz em Sua Palavra que ele "revela seus segredos" aos seus profetas. 
Aí sim entra a falta de intimidade com Deus. Isso tenho negligenciado tanto que não poderia nem ousar esperar que Deus fale comigo. Não falaria. Não dessa forma. 
O que procurei passar foi a segurança de confiar totalmente em Deus, independente do que venha a acontecer. Sei que não é fácil. Não é. Eu posso falar com propriedade. Não é fácil entregar nas mãos de Deus alguém que você ama. Seja pai, seja mãe, seja filho. Ah um filho... Entregar um filho é algo tão crucial. Tão desesperador. 
Não é fácil. E quando realmente se é tirado... É um alvoroço de dor... De agonia... Nunca estamos prontos para perder quem amamos. Nunca.
Ouço algumas vezes dizer se fossemos preparados desde criança para tal perda seria diferente. Será? Talvez. No entanto ainda assim vai doer. Vai doer muito.
O que tentei passar para minha mana é que tudo tem o seu tempo determinado. Tudo. Não sabemos de nada. 
Podemos sim continuar profetizando e declarando cura. É exercitar a fé. Por certo que é. No entanto a enfermidade está ali tão presente quanto o ar que está se respirando. O corpo sofre. Padece. A alma entristece. O espirito se abate. 
E tem a vontade de Deus (que muitos tenho ouvido ministrar que não está escrito na Bíblia que a oração é na vontade de Deus...) Como não?
A oração foi dita. Declarada. Profetizada. O que nos resta então? Orar segundo a vontade de Deus. E isso não quer dizer que estamos deixando de ter fé. De acreditar no impossível de Deus. Deus é maior do que tudo que podemos imaginar. A Bíblia diz isso; que Ele é poderoso para fazer muito mais do que pedimos ou pensamos, segundo o Seu poder que opera em nos." Aleluia.
Como não orar assim? A oração do Pai Nosso é tão plena. Tão "gigante". "Seja feita a Tua vontade assim na Terra como no Céu." Aleluia. 
Isso não quer dizer que a fé não seja verdadeira. Pelo contrário. 
Mas erramos tanto. Confiamos tão pouco.  Queremos ser verdadeiros "adoradores em espírito e verdade", mas basta o olhar virar para a circunstância que facilmente nos abatemos. 
Aí está o erro. Aí está o meu erro. Independente de estar sentindo dores pelo meu corpo inteiro... De sofrer horrores com insônia (todo os distúrbios do sono... As consequências...) Eu não deveria me prostrar de jeito maneira. Deveria continuar orando. Adorando ao Senhor Jesus. Mesmo chorando... Mesmo incomodada com o que se abate dentro de mim... Com os ruídos que se tornaram como um verdadeiro pesadelo em minha vida... Não. Não vou aceitar que tudo é do inimigo. Em Nome de Jesus. Sou lavada e remida pelo sangue de Jesus. Vem aquela passagem que diz assim que NADA NEM NINGUÉM  PODERÁ NOS SEPARAR DO AMOR DE CRISTO. - Romanos 8. 31-39 -
Existe sim uma guerra nas regiões celestiais para travar nossa fé nesse sentindo. Para impedir que atravessamos esse mar e cheguemos na linha de vitória. Em Nome de Jesus.

22.10.14   (22.30)

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

NAS MÃOS DE DEUS.

É desse jeito. Em Nome de Jesus. 

domingo, 19 de outubro de 2014

O PRINCÍPIO QUE NÃO OBSERVAMOS.

"O meu reino não é desse mundo". João 18. 36 

O Grande inimigo do Senhor Jesus Cristo nos dias atuais é o conceito vigente de serviço cristão, que não tem base no Novo Testamento e, sim, no sistema deste mundo, e que consiste no emprego de energias e no envolvimento  em atividades intermináveis, sem, contudo, manter-se uma comunhão íntima com Deus. Estamos dando ênfase  à coisa errada. Jesus disse: " Não vem o Reino de Deus  com visível aparência... porque o Reino de Deus está dentro de vós"; é algo oculto e obscuro. O obreiro cristão atuante vive muitas vezes como que numa vitrine. O que revela o poder espiritual é o que se passa no mais profundo do nosso ser.
Precisamos nos desvencilhar do espírito da era religiosa em que vivemos. Na vida do Senhor não havia tensões e pressões  próprias da excessiva atividade que tanto valorizamos. E o discípulo tem que ser como o seu Mestre. O que há de mais importante no Reino de Cristo é meu relacionamento pessoal com ele, não minha utilidade no serviço dos outros. 
Não são as atividades práticas que constituem a força deste Instituto Bíblico. toda a sua força reside no fato que que aqui você é "posto de molho" diante de Deus. Você não tem nenhuma ideia de como serão as circunstâncias  em que Deus o envolverá, nem que tensões ser-lhe-ão  impostas aqui ou no estrangeiro. E se você desperdiçar seu tempo em atividades frenéticas em vez de procurar embeber-se das grandes verdades fundamentais da redenção de Deus, quando vierem os problemas  você se abaterá. Mas, se aproveitar esse tempo que está "de molho" diante de Deus para tornar-se arraigado e alicerçado em Deus na vida interior, você permanecerá fiel  a ele, aconteça o que acontecer. 

19.10.14     (20.50)

sábado, 18 de outubro de 2014

NOVAMENTE... LUTANDO PARA ELIMINAR PESO...

Nem é verdade que estou lutando. Pelo contrário... Estou me enterrando cada vez mais em comer compulsivamente. É um luta constante que nunca para. E não precisa ser luta se permitisse aquietar minha alma. 
Estou pesada. Gorda! Desmotivada. E mais desmotivada... Mais eu parto para a compulsão. Minha cabeça vive pensando em emagrecer... E vive pensando no que eu vou comer... No mesmo momento que estou decidindo que vou recomeçar é o mesmo momento que já estou inventando alguma coisa para comer... Alguma receita nova... Algum prato ao meu estilo. Tenho comido demais. Eu não suporto isso. Mas continuo. 
E estou doente. Eu me sinto doente por causa disso. A alimentação em excesso e errada (principalmente muito açúcar...)está me matando. Meu corpo está dando sinais que nada está bem. Sem contar com a menopausa. Que Deus me perdoe. É difícil abençoar uma fase tão tenebrosa. É um horror. Um martírio.
E o que é ruim fica pior. O pior ficar desesperadamente horrível. É um inferno. 
Entrei numa pagina que eu sigo e lá constatei  (vida e saúde) que estou com 17 kg a mais. O sobre peso está agora mais de 26. Que sufoco. Que loucura.
Entrei também em um grupo de Reeducação Alimentar. Quem sabe eu me animo. Quem sabe. Agora estou decida a fazer. A recomeçar... Mas até que segundo após?
Estou agoniada. Infeliz. E Gorda! Totalmente gorda. 
Estou completamente aborrecida. 
É simples. É recomeçar. Partir para o "abraço da decisão". 
Na pagina que entrei a informação é que (sugestão) posso eliminar em cinco meses e chegar no peso ideal; 50 kg. 
Sugeriram a dieta dos pontos. 
Não me entusiasmei com a dieta dos pontos. Na verdade nenhuma dieta no momento está me animando. Não precisa de nenhum tipo. Eu sei de cor e salteado. É fazer. Ponto.
Nossa. Parece uma ladainha... Ufa! Ufa! Ufa!

18.10.14  (21.39)

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

DEUS É AMOR. 1 João 4. 1-21

Amados, amemo-nos uns aos outros, porque do amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. 
Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor.
Nisto se manifestou o amor de Deus em nós; em haver Deus enviado o Seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele. 
Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o Seu Filho como propiciação pelos nossos pecados. 
Amados, se Deus de tal maneira nos amou, devemos nós também amar uns aos outros.
Ninguém jamais viu a Deu; se amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor, em nós, aperfeiçoado.
Nisto conhecemos que permanecemos nele, e ele, em nós; em que nos deus do Seu Espírito.
E nós temos visto e testemunhamos que o Pai enviou o Seu Filho como Salvador do mundo.
Aquele que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele, em Deus.
E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele.
Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo.
No amor não existe medo, antes, o perfeito amor lança fora o medo. Orta, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor. 
Nós amamos porque ele nos amou primeiro. 
Se alguém disse: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama o seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê.
Ora, temos, da parte dele, este mandamento: que aquele que ama a Deus ame também a seu irmão.

10.10.14      (21.35)


quarta-feira, 8 de outubro de 2014

A RELVA NA ESTRADINHA DA ORAÇÃO.

"Corrigi-o com espírito de brandura... para que não sejas também tentado." Gl 6. 1 

Dos crentes de Uganda,
Vem uma história tremenda
Pela lição que ensina,
Pelo sermão que prega.
Dizem que, às vezes, sérias tentações
A eles sobrevêm, e precisam de paciência
E, mais que tudo, de oração
Num lugar bem particular.
E cada um escolhe um canto,
Bem longe dos olhares críticos,
No meio da mata, onde pode 
Buscar a Deus a sós.
E tantas vezes ali vai,
Que a relva do caminho, onde ele pisa,
Murcha   e seca. Olhando-se para o chão.
Sabe-se onde cada um deles ora.
Se por acaso se percebe que um deles,
Infelizmente, está se afastando do
Senhor,
E alguns até informam:
"Ele não quer mais saber de orar",
Então, branda e suavemente, lhe  dizem:
"Irmão, perdoa-nos,
Mas queremos lhe mostrar sua estradinha, 
Pois nela a relva está crescendo."
E aquele desviado, cedendo,
E pouco depois se arrependendo:
"Ah, como estou triste
De ver que a relva
Em meu caminha está crescendo.
Mas isso não vai acontecer mais.
Preciso de oração para me fortalecer.
Vou voltar ao meu cantinho. 
E ali, 
O mato não vai mais crescer"  ( A relva na estradinha da oração)

TENHO UM PONDE DE ENCONTRO COM DEUS. E MANTENHA ESSE LUGAR SEMPRE ABERTO! - Em Nome de Jesus. -

08.10.14      (21.49)
É certo que não estava no meu coração ir no Café. Embora estivesse com vontade absoluta de ficar comemorando o aniversário com minha irmã. Talvez... Não. Talvez não. Se a comemoração fosse em sua casa... Com certeza eu iria. Me sentiria mais a vontade. Eu sou assim. Tem dias que é mais difícil estar no meio de pessoas estranhas. O que não eram tão estranhas porque todas as "meninas" que foram convidadas eu as conhecia... Pelo menos a maioria delas... E sem contar com minhas irmãs... Até minha tia resolveu presentear minha irmã com sua presença. Que coisa linda! O fato de estar cuidando da outra irmã com certeza cooperou bastante para estar ausente. 
Penso que tudo bem. Ela me liberou sabendo que se fosse ela no meu lugar também deixaria de estar presente para ficar cuidando de uma irmã doentinha. 
Domingo fui almoçar com o filho, nora e neto. Absolutamente maravilhoso. No entanto fiquei extremamente incomodada com o barulho. Muitas pessoas conversando ao mesmo tempo... As vozes se misturavam dentro da minha cabeça... Os ruídos... O caminhar ligeiro dos garçons... Os olhares das pessoas ansiosas por mesas vagas... E um fundo musical que me irritou bastante. Os ruídos me incomodam. Aquele estilo musical mesmo mais parecia um terrorismo na minha cabeça.
No Culto também foi complicado. Está acontecendo uma situação ( que foi naturalmente explicada... e entendi perfeitamente...) que me incomodou bastante por causa dessa situação dos "barulhos... Dos ruídos... Das vozes intensas e variadas...) É como um turbilhão dentro da minha cabeça. Fico meio que desatinada... Confusa... Perturbada. 
E a "noite agradece" com suas velhas situações... Tem sido bastante difícil. Complicado. No outro dia eu tenho a impressão que tudo desabou em cima de mim. É complicado. 
E as vezes eu ouço algumas opiniões que acabam me chocando porque já é tão frustrante conviver com tudo isso... Porque é impossível alguém pensar que tudo seja para chamar atenção. Mesmo que seja um profissional desavisado da realidade. Para eles é simples diagnosticar e dizer suas opiniões quando quem está passando é o "paciente". 
Quem poderia perdurar quase uma vida inteira com dores para chamar atenção? É insuportável sentir dores dia e noite... Dia após dia... Não existe "manha" por maior que seja que perdure uma vida inteira de sofrimento. 
Pudera acontecesse mesmo o "milagre" em O Nome de Jesus Cristo. 
Hoje ainda conversamos sobre isso, eu e minha irmã... Eu disse à ela que o ser humano nasceu para "ser feliz" e não para sentir dores contínuas. Ela simplesmente me disse: "Será que não?"
Eu não sei. Não deveria. Então ela me disse que tenho que lembrar de todo um histórico em minha vida... Por certo... Tem um longo histórico em minha vida.
E a resposta calou-se dentro de mim. Tem coisas que é mistério mesmo. Quem sabe um dia na eternidade poderemos entender. Em Nome de Jesus.

08.10.14  (21.32)



terça-feira, 7 de outubro de 2014

O DOMÍNIO DO REAL

"É na vossa perseverança que ganhareis as vossas almas." Lucas 21. 19

Quando alguém nasce de novo, durante algum tempo seu pensamento e seu raciocínio perdem o vigor de antes. Temos que desenvolver a expressão da nova vida e formar a mente de Cristo. "Na vossa paciência possuís as vossas almas." Muitos de nós preferem permanecer no limiar da vida cristã a seguir em frente e "edificar" nossa alma de acordo com a nova vida que Deus colocou  em nosso interior. Falhamos por ignorarmos a maneira como somos feitos; atribuímos  nossas falhas ao diabo, em ver de atribuí-las à nossa própria natureza indisciplinada. Pense como somos capazes de reagir quando provocados!
Há certas coisas pelas quais não devemos orar - mau humor, por exemplo. O mau humor não é expulso com oração, é expulso a pontapés. O mau humor quase sempre tem a ver com nossa condição física, e não espiritual. Requer-se um esforço contínuo para não se dar lugar ao mau humor, cuja origem está na condição física; não se entregue a ele nem por um segundo. Temos que nos agarrar a nós mesmos pelo colarinho e nos sacudirmos, e então descobriremos que podemos fazer tudo que pensávamos que poderíamos fazer. O problema da maioria das pessoas é que não tomarão essa posição, e ponto final. A vida cristã é uma vida de vigorosa disposição espiritual.

(Devocional TUDO PARA ELE)  07.10.14    (20.26)

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

A OPERAÇÃO DA REGENERAÇÃO.

"Quando ... aprouve revelar Seu Filho em mim." Gálatas 1.15, 15 

Qual é o problema em que Jesus Cristo se defronta para me regenerar? Eu carrego uma carga hereditária pela qual não tive opção; não sou santo e é pouco provável que venha a sê-lo; e se tudo o Jesus Cristo tem a dizer-me é que tenho que ser santo, sua palavra gera desespero. Mas, sei que Jesus Cristo é o regenerador, aquele que pode consolar dentro de mim sua própria herança de santidade, então, quando ele diz que tenho de ser santo, começo a entender o que ele quer  dizer. A redenção significa que Jesus Cristo pode colocar dentro de qualquer pessoa a mesma disposição hereditária que havia nele,  e todos os padrões que ele estabelece se baseiam nessa disposição; "seu ensinamento é dirigido à vida dele que está em nós". A minha parte de transação moral consistem em concordar com o veredito de Deus sobre o pecado, explicitado pela cruz de Jesus Cristo.
O que o Novo Testamento ensina sobre a regeneração é que, quando alguém sente profundamente sua necessidade  espiritual, Deus infunde o Espírito Santo no espírito dela, que passa a ser vitalizado pelo Espírito do Filho de Deus., - "até ser Cristo formado em nós". O milagre moral da redenção é que Deus pode introduzir em mim uma nova disposição pela qual posso viver uma vida totalmente nova. Quando descubro o quanto sou necessitado e reconheço minhas limitações, Jesus diz: "Bem aventurado és tu". Mas tenho que chegar lá. deus não pode colocar em mim, um ser moral responsável, a disposição que estava em Jesus Cristo, a menos que eu esteja consciente de que preciso dela.
Assim como a disposição para o pecado entrou na raça humana por meio de um só homem, também o Espírito Santo entrou na raça humana por outro homem. Redenção significa que posso ser liberto da carga hereditária do pecado, e através de Jesus Cristo, receber uma herança imaculada, ou seja, o Espírito Santo.

06.10.14   (10.45)

sábado, 4 de outubro de 2014

A VISÃO E A REALIDADE

"Chamados para ser santos". - 1 Coríntios 1. 2

Agradeça a Deus pela visão daquilo que você ainda não conseguiu atingir. Você teve a visão, mas ainda está longe de alcançá-la. É quando estamos no vale - onde se verifica se nos tornaremos melhores ou não - que a maioria retrocede. Não estamos totalmente preparados para os golpes que teremos de sofrer se quisermos ser  moldados e tomar a forma que temos na visão. Já sabemos que ainda não somos como Deus quer que sejamos, mas será que estamos dispostos a ser martelados por Deus até que tenhamos a forma da visão? Os golpes sempre são dados pelas situações comuns e através de pessoas comuns. 
Há ocasiões em que sabemos qual é o propósito de Deus para nós; mas deixar que a visão se transforme em realidade , depende de nós, e não de Deus. Se preferimos ficar refestelando-nos no monto e viver das lembranças da visão, não serviremos para nada em meio aos fatos comuns de que a vida humana é feita. Temos que aprender a viver confiantes no que a visão nos mostrou, não em êxtases e contemplações de Deus, mas em meio aos fatos, à luz da visão, até que cheguemos à verdadeira realidade. Cada etapa de nossa instrução tem esse objetivo. Aprenda a agradecer a Deus por revelar-lhes suas exigências.
O mesquinho "eu sou" sempre fica amuado quando Deus diz faça. Que o mesquinho "eu sou" murche  ante a indignação de Deus  - "EU SOU O QUE SOU te enviou." Ele tem que dominar. Não é cavernas onde nos escondemos? Como o relâmpago revela o que a escuridão esconde, assim ele nos descobre. Nenhum ser humano conhece o ser humano como Deus. 

04.10.14   (19.57)

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

"MAS O FRUTO DO ESPÍRITO É... MANSIDÃO."

Galatas 5. 22,23 

Certa vez, em um leilão, um homem comprou um vaso de cerâmica barato e pagou apenas alguns centavos. Entretanto colocou nele um perfume valioso - essência de rosas. O perfume ficou naquele vaso durante um bom tempo. E quando acabou, o recipiente se achava tão impregnado daquela doce fragrância  que ela permaneceu no ar. Afinal, um dia, o vaso caiu ao chão e se quebrou, mas cada pedacinho dele carregava em si, o cheiro das rosas. 
Todos nós somos como um vaso de barro, um simples utensílio de cerâmica. Contudo, se guardarmos o amor de Cristo no coração, ele permeará toda a nossa  vida, e seremos tão cheios de amor quanto o Senhor. Foi assim que o discípulo amado aprendeu a lição e veio a ser um homem cheio de amor. Ele se reclinava no peito de Cristo, e a mansidão do Senhor, inundou sua vida. 

Como João se reclinava no peito do seu amado Mestre,
Assim quero reclinar e descansar.
Como uma concha vazia, nas profundezas do mar,
Assim, Senhor,quero afundar e cheio de Ti me tornar.

Como um pássaro cantando no alto Céu azul,
Assim quero subir e de lá te louvar.
Nem chuva, nem ventania pode haver, 
Quando cheio de Ti está o ar.

E mesmo que se multiplique o lidar diário,
E, como nuvem, o pó da Terra venha me cercar,
Em meio ao vozerio deste mundo, Senhor, descanso meu,
Como João quero em teu peito reclinar.  (Extraído de Rose from Brier - Rosa entre espinhos)

SENHOR, NÃO PERMITAS QUE ME TORNE ENDURECIDO.

02.10.14   (21.08)

"ELE ME FAZ REPOUSAR EM PASTOS VERDEJANTES"

Salmo 23. 2

Há ocasiões em que o crente tem de ficar parado, quieto como a Terra que recebe as chuvas da primavera. Tem de deixar que as lições e as lembranças das verdades da Palavra de Deus penetrem até as raízes de sua vida, inundando os "veios subterrâneos" de sua alma.
Os dias em que nossas mãos estão paradas não são tempo perdido, assim como não o são os dias de chuva, em que o lavrador fica retido dentro de casa. É então que o grande Pastor faz seu serviço "repousar".
Há ocasiões também em que os homens dizem que estão muito ocupados e não podem parar. Crêem que, permanecendo ativos, estão realizando a Obra de Deus. Então, o Senhor intervém e os "faz repousar". É que eles estão passando pelos pastos com tanta pressa que nem reparam como são verdes. Não captam a bênção deles. E Deus não que que eles percam todos esses valores. Por isso ele os "faz repousar".
Muitos crentes já tiveram de  dar graças a Deus por um período em que foram forçados a descansar. Foi nessa ocasião que esses servos aprenderam o valor de meditar na Palavra. Entenderam como é precioso ficar quieto nas mãos de Deus, aguardando a vontade dele. 

Em Nome de Jesus.

02.10.14        (20.17)

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

A CULPA É DO CORTICOIDE...

Foi a "desculpa deslavada..." que usei para meu peso. Estou gorda. Simplesmente gorda. Mas não é por causa do medicamento... Que já fazem mais de dois meses que tomei... E não foi tanto assim para chegar no peso que estou. 
É o que sempre acontece... Emagreço... Um pouco... Um pouco mais... Emagreço... E volto a engordar... E engordo... E diferente de emagrecer... Engordo... Mais e mais... E aí vem a vergonha... A desculpa esfarrapada... Estupida.
Não sou dada a fazer isso... Mas me senti assim hoje... Estou tanto tempo fazendo Pilates e estou cada vez mais regredindo... Eu tinha eliminado um pouco mais de seis quilos... Depois fui oscilando... E agora nem isso... Estou fora da casinha mesmo. 
E não adianta ficar chateada. Aborrecida. O que adiante é recomeçar. Atitude. (Mamãe sempre dizia que é apenar "determinação"). Simples assim.
É verdade. 
Não tem como ser diferente. 
É difícil reeducar-se. Mas não é impossível. Quem sabe amanhã... Sempre o amanhã é um bom recomeço. 
Hoje me surpreendi... Me esforcei no Pilates com os exercícios... Não reclamei... Não parei (embora algumas vezes fosse a vontade de fazer... E aí pensava... Estou cansada de parecer sempre a coitadinha... A que nunca consegue... Enfim...)
Fui decidida a quando terminar meu pacote não fazer mais (nossa... esqueci o que ia escrever... que doideira... tem sido assim... devagar... quase parando...)No entanto... Lá estava eu... Terminando a aula... Recebendo o alongamento... Massagem... Não tinha percebido passar o horário... E estava me sentindo bem... Para surpresa minha. 
Mesmo com dor superei meus limites. Estou contente. Fazia tempo que não acontecia ficar bem. 
Teve um momento que agradeci a Deus quando ouvi uma aluna falar em problemas de hipertensão (medicamentos...) e as dificuldades... 
Com minha idade... Estando gorda... Ainda assim minha pressão é boa. Mesmo com os agravos da fibromialgia... Com tantas coisas que sinto... Ainda assim posso me considerar com saúde. Louvado Seja Deus. 
Quero mais algum motivo para "recomeçar" a Reeducação Alimentar? É um bom momento já que tenho consciência da situação. 
Porque não? Quem sabe amanhã? 

01.10.14       (21.47)


terça-feira, 30 de setembro de 2014

EM CHOQUE...

Quando vi aquela imagem meu coração disparou... Conheço aquele jovem... Desde muito jovem... E sabia do acidente... Que a filhinha estava na UTI... E agora uma irmãzinha de tão longe envia uma mensagem de consolo para o "primo...".
Conheço esse jovem tem tempo. Penso que ele era bem mais jovem que meu filho caçula... Ficaram amigos... Trabalharam juntos um tempo... Com o tempo via ele muito esporadicamente ... Lembro que a ultima vez disse que orava por sua  vida e que ele se cuidasse... 
Depois soube do acidente... O tempo passou... E hoje soube da morte da sua filhinha. 
Esse jovem já foi marcado por tantas tragédias. Com certeza deve estar abalado. Talvez até sentindo-se culpado. Tantas coisas passam na cabeça quando perdemos um filho, ainda mais como aconteceu com ele. Ficará como uma marca profunda em sua alma. E agora... A paz e o consolo somente quando aceitar Jesus como seu Salvador... (e ainda assim... ainda assim...)
Que Deus tenha misericórdia dele e toda sua família. Em Nome de Jesus.

30.09.14  (20.31)

Poderia ter sido assim...

É claro que eu não culpo meus pais por nada. Com certeza eles fizeram o melhor para nós, seus filhos. Era o que eles tinham. O que tinham recebido... E a medida que vamos crescendo podemos mudar algumas dificuldades. Buscar sonhos por nós mesmo. Tudo isso é verdade. Contudo... Poderia ter sido diferente se tivesse mais segurança. Se houvesse motivação. Se houvesse uma preparação para a vida fora daquele espaço familiar. 
Crescemos com tantos medos. Tantas inseguranças. Na verdade falo de mim. Muito mais agora que somos adultas. Não pensamos as mesmas coisas.
O que para mim foi difícil não foi para outras irmãs... Algumas coisas foram difíceis para algumas delas e para mim não foi... Enfim... 
Mas eu penso... Repenso... Com maturidade que tenho agora poderia fazer tantas coisas. Agora com mais idade a saúde fica tanto a desejar que fica esse sabor do poderia ter sido assim... 
Sei que nunca é tarde para nada. Mas as vezes parece mais uma frase feita. Algumas frases parecem ser "chavões positivos". 
Ouvir é bom. No entanto nem sempre cabe na sua vida. 
A verdade é que tudo passa. Tudo passa. Em Nome de Jesus.

30.09.14   (14.47)

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

UMA MINISTRAÇÃO (A VOZ DO SENHOR)

É assim que tomamos para nós quando ouvimos a ministração. E ontem com tanta resistência em meu coração para não ir... A forma como eu me sentia... Minha conversa com Deus (não tenho máscara nenhuma... Me sinto vazia... Endurecida...)
E veio  a ministração bem de encontro não para massagear meu "ego", pelo contrário, novamente para chacoalhar a estrutura. 
Não adianta eu ficar lambendo as feridas... Massageando as dores (sejas elas quais forem...) Seriam também as do físico... Ai meu Deus... Como seguir em frente com tantas dores... Mas a ministração foi exatamente para simplesmente seguir. A vida segue. Os ciclos se fecham. Deus de eternidade. Por certo que sim. No entanto é um Deus de movimento. O Espírito Santo se move. 
Estou muito longe de tudo aquilo que senti um dia... ( no entanto... a ministração veio dizendo para eu largar tudo aquilo que eu sentia... Já não é mais... É um novo tempo. 
Ontem tudo pareceu ser possível. No momento que está ali se ouvindo parece que é impossível que não aconteça. É possível. Mas ao voltar para casa... A noite... A  ansiedade... As dificuldades... Um ciclo dentro de outro ciclo... 
A roda dentro da roda (... e o Espírito de Deus...)
Estou mortalmente esgotada. Mas estou viva. Existe sempre a esperança para reviver. 
Eu tenho fé. Creio no poder e na força do Espírito Santo. 
E não importa o que eu pense ou sinta... Não importa. Deus é Deus. Deus é maior. Em Nome de Jesus.

29.09.14    (23.23)

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

CHEGANDO DO CULTO...

A ministração veio bem ao meu encontro. Esse "vazio" que sinto no espiritual com certeza é o sal insípido. Não tem mais sabor. Não estou sendo sal nem luz para o "mundo". 
Não estou inválida. Não estou surda nem muda. Mesmo em meio a tanta dor no corpo... Esgotada mentalmente... Eu ainda sou "sal". E segundo o que eu ouvi não posso ser sal para mim mesma porque fica salgado demais. Ruim. É verdade. Ainda ontem comi algo "bem salgado" que de início pareceu ser delicioso... Mas depois ficou intolerável ao meu paladar. E era um prato (receita) delicioso. Nem para mais nem para menos. 
A pergunta veio como um choque repentino... Você tem sido sal para alguém? Ou em meio a tanta luta e provação você não tem conseguido enxergar nada mais além do que você mesma? É em meio a dor mesmo. É da forma que você esta. Nossa.
Hoje me surpreendi com as pessoas. Tem sido assim ultimamente... Desde a morte da mamãe percebo que são aqueles improváveis que Deus tem usado para se chegar a mim. É impressionante. Nunca poderia imaginar que viesse a acontecer tal coisa. 
Com certeza é do jeito que Deus quer e quando Ele quer e na hora que Ele quer. 
Foi difícil. Mas vou seguir em frente. Orei. Chorei. Clamei. E está acontecendo. Não vou buscar desculpas para não congregar. Eu vou. Vou permanecer. Mesmo em meio a grande turbulência da saúde fragilizada. 
Estava ali no meio daquelas mulheres me sentindo tipo que estou fazendo aqui com elas se tudo em mim está tão vazio? Ouvi-las... A nível pessoal... A nível de mulheres que gostam de se arrumar... Pintar os cabelos... Ficarem lindas. Falando em cores... Em saúde... Em "emagrecer...", todo tipo de conversa... Foi um grande esforço porque estou bem o oposto de tudo aquilo.
Mas vou aproveitar o que Deus está colocando em meu caminho. Não serei ingrata com o Espírito Santo. Em Nome de Jesus.

27.09.14    (00.40)

CREIO SER DA PARTE DE DEUS.

Acontecem umas coisas inesperadas mesmo com a gente... Primeiro decidi que não iria no Pilates... Depois refleti... Levantei... Tomei banho... Procurei desculpas novamente para não ir... Tipo variáveis... Enfim... Fui... E lá entrou uma Pastora da Igreja onde congrego... Bem... Pensei... Tudo bem... Tudo bem. Sei como são as pessoas... Sei como eu sou... Tudo bem.
E de repente... Ela pergunta se sou filha da pastora Rosinha... Então pensei... Tudo bem... É assim  mesmo... Mas depois veio o convite se eu quisesse ir no Culto... Que agora morava bem próximo a mim e a outra pastora... 
Tudo bem. Depois fui dispensada ... E foi saindo sem comentar mais nada... Mas no impulso voltei e entreguei meu numero... Ela então disse que era melhor pegar meu endereço mesmo, com a certeza que eu iria. Simples assim.
Sabia que mana ficaria feliz. Eu vou sim. Não estou com vontade. Mas tenho aprendido que fé não é vontade. Não é emoções. É fé. É atitude. Então vou na Igreja. 
E tudo mesmo é da parte de Deus. 
Sem ansiedade. Sem pressa. Em Nome de Jesus.

26.09.14   (11.04)